21 de fev de 2008

Espero há tempos e no fundo sei que não virá assim. enrolo as lembranças em papel de alumínio e ponho para assar. uma pitada de esperança, duas doses de conhaque, pimenta e suor. minhas bruxas estão soltas. minha casa anda cinza por trás de todas as cores. andei vagando pela madrugada catando papéis. biscoito da sorte e horóscopo eu desisti. queria uma coleção de vestidos de bolinhas, um sapato de boneca e uma fivela igual a que minha me deu e eu quebrei no primeiro dia. minha respiração não é boa. ansiedade. é normal ter tanto amor? fogo, bagunça. movimentos aleatórios e solitários. acho que estou com tendinite. facilita minha vida e tira minha roupa? desacredito no medo. ai, Vinicius, protege os fugitivos. um dia eu concerto o eixo central. meus filhos ainda nem pensam em existir.minha sensibilidade anda me irritando. não consigo mais correr. tantas manchas roxas pelo corpo, tão poucas deixadas por você. fui fiel, leal, comportada e generosa, e agora? escolhas sórdidas. absurdo. que eu seja. meu homem anda perdido no meio de lobas.arlequim. eu ainda não menti de verdade. deve ser por isso. natureza é loucura. a fascinante violência das flores não recebidas. um pescoço sem um beijo é uma agressão.
Ando me sentindo.
futebol e física quântica. cervejas. panóptico. saudades. reminescências. carência transcendental. namorados, amigos e parentes. dexistencialismo. conflitismo, uma corrente para os novos tempos. fuga do deserto. saudações ao mundo. milhões de particulas. uma dor. pequenas falhas. grandes conquistas. fogo. imagens. um corpo. dois corpos. ação e reação. ontologia. contas. música. sorrisos. chuva. deja-vú. tédio, tédio. coleção de idéias, bem guardadas no escuro. E cadê você que ainda tem medo de sofrer?

19 de fev de 2008

Eu tinha cabelos loiros e cacheados. Adorava pegar girinos e ficava muito brava quando diziam que não eram peixes. Meu piquinês se chamava Pink. Uma vez eu roubei uma coxa de galinha da ceia de natal. Meus seres imaginários não eram muito criativos. As vezes eu achava que mamãe era uma bruxa. Casa de madeira. Coração de lava. Lareira com carneiros. Saco de brinquedos. Tempestades. Lambreta azul. Meu namorado fictício se chamava Ed. Ele foi um cara bacana. Pensamentos sujos. Pensamentos ingênuos. Meu pai sempre foi tão bonito e bravo, nossa!Existem corvos por aqui? Acho que lembro de espantalhos, com Raybans, estranho. Vidro de vagalumes. Caixa de motorzinhos. Gibis empacotados. Eu não tinha idéia. Viajei por mundos oníricos e perdi muita bagagem. Gosto mais de brinquedos agora. Recortes, tintas, martelos. Meu primeiro porre foi de quentão. Banheira de alumínio. Colchão de palha. Almofada de crochê. Vocês sabiam e não me contaram. Cavalos, cachorros, bois. Ambientes deliciosamente envolventes em raios de sol. Gavetas, portas, chaves. Milhões de chaves e nada para abrir. Fecha aqui, fecha acolá. Rios, rios, rios. Continuo corrente. Barro, barro, barro. Sou muito mulher. Milhões de pedrinhas, era para parecer mais difícil. Dei a volta. O mar. Infinito. Grama, balanço, pinheiro. Não esperavam isso de mim. Só perceberam que eu sou sensível quando eu parei de chorar. Barbapapa. Vinil, gloss, gliter. Eu não gosto de discoteca. Chinelo virado. Andar descalço. Fazer cara feia. Eu era uma criança terrivelmente obediente e isso me magoa. minha vingança era doce, tesourava os cabelos. Franjas tortas. Carros, carros, carros, eu não dirijo. Não quero. Isso, me deixem só num canto. Escrivaninhas, lápis, papel. O teto em cima de mim. A noite cintilante, despencando de estrelas. Frio, frio. Eu tomo muito banho gelado, coisa de gente muito forte. Eu to quase chegando em mim de novo.

15 de fev de 2008

Quanto mais eu tento ser normal, mais me embaralho, que engraçado né? Acho que tem gente que nasce assim mesmo. Desisti de sublimar. Amarrei muitas pipas em fios de alta tensão. Resolvi voar baixo e bater de frente com as Andorinhas. Mesmo respirando fundo sempre sobra ar. Já tinham me avisado que se eu não tomasse cuidado eu poderia flutuar. Meu mapa astral disse que eu ia casar duas vezes. Que bom, tenho mais uma chance para dividir com 7 vidas. Isso dá positivo ou negativo? Se eu pudesse eu embaralhava o tempo. Ah, eu já faço isso! Quando eu decido, já era. Quando foi que meus olhos se fecharam? Se eu sonhar com você em que bicho devo jogar? To precisando de tintas. Vou burlar a escadaria. Eu posso ficar quantos dias esperando para dizer adeus? deve existir uma regra para isso. Me olhei no espelho, estou com olheiras.

7 de fev de 2008

ai de mim


Ai de mim, que não desisto... eu prefiro um pássaro voando. eu não aguento minha casa vazia. eu juro que vou mudar. quando minha mãe vier vou encher ela de beijos. acredita que eu era tímida? e ainda sou, mas agora sei disfarçar. tem uma horas que eu não acredito. catarse. eu não sabia que eu ia dar nisso. eu era só ua menina. nunca disse que não era louca. eu sou é umas mil. meus brinquedos estão empoeirados.com quantos átomos se faz um sorriso? você já viu, mas nem deu bola. se eu mergulhar no arco-íris eu vou sair de que cor? por que ninguém me responde? eu ando cansada ultimamente, mas é lá no fundo. ontem achei que ia ficar calma. dormi e sonhei de novo. eu sou bem parecida com meu pai. será que ele senti tanta angustia? eu quero ser palhaça e morrer de rir. matar só se for de amor. mas as pessoas andam assustadas. alguém aceita um beijo? que decadência ter que oferecer. vou andar mais na sombra. o mar tá cheio de tubarão. todos os meus amigos por perto, agora! será que um dia passa essa melancolia? que lindos olhos quando pensam. eu vou me retirar pela direita. um dia eu tomo jeito e viro criança de novo. agora foi.