19 de mar de 2012



obliterada por uma vontade de nãoseiquem
desperdiço as horas, os poemas, a beleza que ainda me resta.
não concebo essa existência vazia.
onírica estou sempre,
vadia e corrompida por uma história romântica.
se ao final, quando a barbárie chegar, estiver ainda nessa doce busca de Alice,
espero que comprem para mim um vestido rosa, um pente com fita,
um dicionário de sinônimos e chamem os amigos.


Pintura de Eva Hesse

Nenhum comentário: